terça-feira, 1 de março de 2011

Afinal o que são diferenças ?


Tudo o que uma pessoa pensa ser, muitas vezes não condiz com o que a sociedade julga “normal” ou “certo”, pois não é o que ela transparece para as pessoas ao seu redor. As diferenças são julgadas como coisas que não fazem parte da “realidade” de uma sociedade que se diz “democrática” e que diz não possuir preconceitos e formas ignorantes de tratar pessoas ditadas como “doidas, inconseqüentes, retardadas, doentes mentais, etc.” Como se o modo de se vestir ou até mesmo de se comunicar ou agir fosse o que se pode tratar de imaturidade ou pura e mera falta de coesão racional. Penso que pessoas julgam por talvez se acharem no direito de julgar alguém que nem ao menos conhecem ou se deixam conhecer, por realmente se sentirem melhores e superiores ás pessoas que possuem o que a maioria da tão chamada sociedade, que é o se deveria ser um conjunto de pessoas que compartilham propósitos, gostos, preocupações e costumes, e que interagem entre si constituindo uma comunidade, não possui, que é a coragem e a destreza de serem quem realmente são sem se deixar levar pelas normas sociais impostas e cobradas no dia a dia das pessoas que se dizem “normais”. Ser anormal para mim é ser capaz e digno de se chamar SER HUMANO. É a forma mais pura de ser você e de ser realmente uma pessoa de caráter próprio, o que me leva a pura e insaciável ânsia de ser diferente, pois quem é comum e “igual” é puramente repugnante e desprezível. Não julgue pois tu serás julgado. Não digo que não tenha seus valores e seus pensamentos e princípios, mas que deixe de ser o que se chama de ignorante. Pode-se dizer que diferenças são formas incompreendidas que as pessoas buscam de ser elas mesmas, que na realidade não são diferenças, mas sim identidades.


2 comentários: